domingo, 4 de fevereiro de 2018

2017. Four seasons, please #6 (Summer)

2017. Four seasons, please #5 (Summer)

2017. Four seasons, please #4 (Summer)

2017. Four seasons, please #3 (Spring)
2017. Four seasons, please #2 (Spring)
2017. Four seasons, please #1 (Spring)

2017. Four seasons, please! (Beijing)











Imagens da montagem (30 de outubro de 2017) e da Inauguração (2 de Novembro) de "A Possible Breeze", colectiva de arte portuguesa com 6 pinturas de série Four Seasons, please!. No Minsheng Art Museum. Beijing. (Organização: Galeria Arte Periférica, Museu do Oriente; China Arts Entertainment Group, China International Culture Association, Beijing Minsheng Art Museum)


terça-feira, 24 de outubro de 2017

Four seasons, please! Dunhuang | China



Seis pinturas da série Four seasons, please (2017) na representação portuguesa "A possible breve, whispers" organizada pela galeria Arte Periférica, na exposição colectiva internacional "Dialogue With Masters". International Convention and Exhibition Center, Dunhuang. China, 20 Setembro-10 de Outubro, 2017.

sábado, 20 de maio de 2017


Seashells #2, 2017. Acrílicas s/tela, 150x195 cm

34:111. Acrílicas s/ tela. 140x420 cm
Pintura para a Nova Medical School, Lisboa.

Fragmentos de 34:111


Casa das Histórias Museu Paula Rego, Cascais, abril 2015 (com Pedro Calapez)

Algumas "meninas" na colectiva Diálogos Ibero-americanos. GAP, Vitória ES, Brasil, dezembro 2016

domingo, 18 de dezembro de 2016

A menina (não) fica em casa


Isabel Sabino - A menina (não) fica em casa
Intervenção pictórica no Museu Militar de Lisboa, de 15 de junho a 30 de setembro de 2016
Vitrina esquerda: Mulheres d'armas (15 pinturas com retrartos das pioneiras do feminismo português)
Vitrina direita: As meninas (não) ficam em casa (33 pinturas sobre as mulheres na 1ª GG)
Em frente, nas Sala da Grande Guerra: Miss Maria (Instalação pictórica)

Este projecto insere-se no ciclo "Evocações da Grande Guerra" e foi concebido para as salas que, no Museu Militar de Lisboa, assinalam a 1ª guerra mundial e a participação portuguesa. Marcadas pela presença imponente de inúmeras obras e objectos, nestas salas destacam-se especialmente as grandes pinturas de Sousa Lopes, realizadas após o represso do artista da frente francesa.
A intervenção de Isabel Sabino inscreve a presença das mulheres num museu dedicado a temas militares e, pela via da tradição da pintura histórica, uma leitura contemporânea da presença das mulheres não apenas nos contextos estritos da guerra de 14-18, mas também da luta pela sua emancipação, assinalando ainda temas particularmente agudos das mulheres hoje.

A menina (não) fica em casa - 1: Mulheres d'armas


Mulheres d’armas 
14 retratos individuais de portuguesas feministas da geração das pioneiras (18-13 cm) e 1 retrato colectivo da Cruzada das mulheres Portuguesas (30x40 cm).
Acrílicas s/ tela.




A menina (não) fica em casa - 2: As meninas (não) ficam em casa



As meninas (não) ficam em casa
33 pinturas de diferentes formatos, Téc. mista de acrílicas  s/ tela








A menina (não) fica em casa - 3: Miss Maria

Miss Maria 
Objecto/instalação com 100 retratos individuais e colectivos
Cerca de 7 m x 3 m x 1,7 m. Materiais têxteis e outros







Miss Maria é um objecto/instalação que evoca as trincheiras construídas pelas mulheres italianas, durante a 1ª Grande Guerra, na frente do rio Piave. Diversas das mais comuns, estas trincheiras, em vez de serem escavadas, eram levantadas a partir do terreno com pilares de madeira entrelaçados por vime. Agora, no centenário da participação portuguesa nessa guerra, este objecto vem trazer em imagens algumas das situações inadmissíveis de que as mulheres continuam a ser vítimas nos cenários dos confrontos militares e não só: violência, violações, escravatura sexual; ataques com ácido por mau uso do lenço (bad hijab); casamento infantil; e MGF (mutilação genital feminina).